quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Tiririca voto de protesto?

Estamos loucos. Ou será que ainda existe alguém em sã consciência neste Brasil? As análises pós Eleições sobre o absurdo número de votos que este palhaço Tiririca recebeu se dão por conta do enorme protesto que a população de São Paulo deu a este senhor. Ora, em primeiro lugar não vi em nenhum momento ninguém comentando sobre os 400.000 votos do Maluf ou os 500.000 votos do Anthony Garotinho, ou os quase 500.000 também do Jáder Barbalho. Deferidos como candidatos fichas sujas, o povo escolheu estes mesmos, sabendo das irregularidades deles nas administrações passadas. Mas falaremos disso adiante.
São Paulo é o maior colégio eleitoral do país. Seria ingenuidade (a priori acredito que o povo ainda seja mesmo) pensar que outro estado da federação e não São Paulo (salvo, claro, exceções) tivesse os maiores números de votos para seus candidatos. Parece realmente uma epidemia de perda de memória, tal qual Alzheimer, esquecerem que Maluf sempre foi o mais votado, Enéas Carneiro (o barbudo com bordão inconfundível) conseguiu se eleger deputado federal mais votado história e o Clodovil (o estilista polêmico) um dos mais bem votados também por São Paulo, ademais outros casos.
Mas passada a euforia dessa eleição, agora diante de resultados escabrosos (que já ocorrem há tempos) alguns analistas (e pseudo analistas por que não?) vem a público mostrar a surpresa da eleição do palhaço Tiririca. E como não tem explicação (ou será que tem e não podem dizer ou não querem?) afirmam em debates e discussões nos telejornais que foi um voto de protesto.
Pergunto: o que é um voto de protesto? E mais: o que é protesto? Bem, vamos por partes. Voto é coisa séria, famosa frase de efeito e clichê em época de eleição, isso todo mundo sabe, supostamente. Mas não sabem que voto NUNCA é protesto ou pelo menos não deveria ser. Votar é conscientizar-se do futuro, das atitudes que tomamos e irão transformar-se em efeito em algum determinado momento e espaço. Votamos na mulher bonita, sincera e amorosa pra casar, votamos no melhor carro por conforto, durabilidade e preço, votamos na melhor TV com a melhor imagem pra nossa sala decorar, pra citar alguns exemplos. Votamos (e votar é fazer política pra quem não sabe) por que elegemos aquilo que nossa racionalidade escolhe como melhor pra nossa vida e nosso futuro. Então quando votamos não devemos protestar, devemos escolher o melhor.
Protesto. Palavra esquecida do vocabulário e cotidiano brasileiro. O último bom protesto que vi nesse país foi dos caras pintadas em 92, com a mídia dando total empenho. Protesto se faz nas ruas, povo unido, marchando, cantando, talvez igual aquela canção. Acho difícil hoje esse povo desvairado com as maravilhas da Era Lula fazer algo contra o que está bom pra ele.
O voto no Tiririca e nesses outros candidatos ditos "exceções" é um voto consciente daquilo que o povo brasileiro mais se orgulha: de si mesmo. O Brasil é um espelho que reflete suas características. Porque o país é alegria, carnaval, festa, gente boa, etc. O povo do Brasil é ainda ufanista pós-Getúlio e se orgulha da sua pobreza, seja material, espiritual, moral, científica. Não foram os brasileiros que protestaram seu voto contra os políticos corruptos no Congresso porque foram esses mesmos brasileiros que os elegeram. Até quando iremos culpar o efeito e não a causa?

Um comentário:

  1. Diante de tudo isso ainda acho que o povo brasileiro não sabe votar. Por isso o voto deveria ser facultativo.

    Meu blog está no 2º turno do TopBlog, passe lá no Saiba História e deixe o seu voto.

    Desde já lhe agradeço!
    Abraços!

    ResponderExcluir