quarta-feira, 6 de outubro de 2010

... pois as pesquisas indicam...

Após as eleições no Brasil tudo é explicável. Candidato A ganhou porque o candidato B não fez as determinadas ações que lhe competia para vencer o pleito. Ou o candidato C teve grande importância na vitória do candidato A ou B pois, no final das contas apoiou no segundo turno. Sim as pesquisas de intenções de voto avaliam assim a política no Brasil. Determinam de antemão quem vai ganhar e quem vai perder, depois é fácil dizer o por quê.
Mas por que será que as previsões falharam nas eleições presidenciais de agora? Porque fica claro que por trás de uma pesquisa tem uma empresa, e toda empresa neste país tem suas atividade lucrativas ligadas a determinados grupos políticos. Ou seja, toda pesquisa já é encomendada, e como toda encomenda, já se sabe o produto e o destinatário. Mas aí entra uma outra questão: por que o povo não vê isso? Por que votar justo naquele que as pesquisas mostram que está na frente e tem a possibilidade de ganhar?
Tenho uma simples teoria sobre isso. Nossa sociedade ainda vê com bons olhos aquele que triunfa, já que o que vence é o melhor. Ninguém quer ser o segundo, o vice, o perdedor. É assim que as pessoas enxergam quem está atrás nas pesquisas, e isso é influenciado de forma sutil na mentalidade delas pela mídia de massa.
Pesquisa eleitoral não tem nenhum valor sobre o voto, já que um voto é, como já afirmei diversas vezes, um ato de consciência e também de inteligência e moral. Eu não posso entregar o futuro de um grupo à chefia de alguém desqualificado que no momento ou supostamente está liderando a campanha. Falta ato de raciocínio ao povo, que não observa que ele elege um para representar toda nação e definir o futuro do país. Não é um campeonato de futebol, onde o time que está ganhando é o melhor e que poderá vencer.
Nessas eleições ficou claro que alguma coisa está mudando na população, estão cansados de ver um embate entre duas idéias (se é que houveram propostas nestas) que não levam o país adiante. As desculpas dadas às falhas apontando debates e pensamentos de última hora de candidatos como os prováveis culpados não se sustentam. Mas de alguma forma as intenções de voto não serviram mais como base de avaliação de candidato ao povo, como as empresas de pesquisam afirmam. Creio que uma mentalidade nova descortina no horizonte, e possa talvez ser essa a salvação da sociedade brasileira.

Um comentário:

  1. Que suas palavras sejam sábias e que possamos ver uma luz no fim do tunel em nossa sociedade. Amém!

    Abraços, :-)

    ResponderExcluir