segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

onde caminha a humanidade

O mundo assistiu apreensivo este dias de rebelião, revolta e turbulência no mundo árabe. Pessoas nas ruas gritando, protestando contra governos autoritários e ditatoriais. Mas por quê?
Ninguem sai à rua, disposto a levar um tiro no corpo sem um motivo extremamente forte. O que levou a multidão às ruas foi a extrema pobreza que passam esses países. Miseráveis totalmente a mercê de esmolas de um governo corrupto e sem menor identificação popular. Isso ocorreu em muitos momentos da História, mas observemos no caso da Revolução Francesa. Enquanto uma corte poderosa e ostensiva de luxo bailava ao som de tocatas suntuosas e banquetes nababescos, a grande parcela da população estava sem ter o que comer, o que vestir, o que usar como teto. Incentivados por uma oposição ainda fraca, mas atuante, decidiram fazer um levante contra Luis XVI. Assim é no mundo árabe. A crise enfim chegou a essa região, e bem forte, fazendo com que o desemprego piorasse e o poder de compra baixasse ainda mais. Houveram estopins de outros fatores sim, mas o cerne da questão é econômico. Falta alimento no mundo. Falta gestão e administração dos países ricos e pobres para gerenciar comida de forma igualitária para todos os povos. Isso se encontra na palavra sustentabilidade.
Mas para onde se encaminham essas revoluções? Para  os novos governos que surgirem, ainda corruptos e passíveis de erros, que por enquanto darão pão e circo para anestesiar a sede de rebelião popular. Até a próxima crise, mais violenta e mais devastadora se abater mundialmente. E talvez mais rápido chegar a esses países.

Nenhum comentário:

Postar um comentário